38a Mostra Internacional de Cinema

Confira alguns filmes que estão sendo exibidos na 38a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Leia mais críticas de filmes da programação clicando aqui

  • Winter Sleep
Ganhador da Palma de Ouro do Festival de Cannes, “Winter Sleep” desponta como um dos mais aguardados da Mostra. A expectativa pode frustar alguns dos espectadores, porém. Na trama, um homem idoso administra um hotel com a sua irmã e a sua jovem esposa. Durante o tédio do inverno congelante, as desavenças entre os três tornam o clima ainda mais desagradável para os personagens. O longa-metragem se destaca pelos diálogos afiados, que chegam a durar minutos. São eles o trunfo que torna agradáveis as mais de três horas de filme, em que praticamente nada acontece. Apesar disso, falta um tempero a mais na história, pois a narrativa é muito convencional, sem grandes surpresas.
  • Pássaro Branco na Nevasca
Estrelado pela atriz Shailene Woodley, protagonista dos filmes “A Culpa é das Estrelas” e “Divergente”, “Pássaro Branco na Nevasca” é um filme adolescente com toques de mistério. A atriz, carismática, e a montagem do filme, que vai adicionando novos detalhes a cada flashback, tornam o filme envolvente. O desfecho é surpreendente, mas o clímax deixa bastante a desejar. A trama é simples: a mãe de Katrina misteriosamente abandona a família. Agora, ela e o seu pai precisam continuar com as suas vidas, sem saber ao certo o que aconteceu com Eve (Eva Green). 

  • Livre
Do mesmo diretor de “Clube de Compras Dallas”, “Livre” traz Reese Whiterspoon no papel de Cheryl, uma mulher que, diante da necessidade de recomeçar a sua vida, resolve percorrer uma trilha de quase dois mil quilômetros, a Pacific Crest Trail. Além da boa atuação de Whiterspoon, o filme tem um roteiro envolvente e simpático. Não é nada imperdível, mas quem espera uma espécie de “Comer, rezar e amar” na natureza, não vai se decepcionar.
  • 3 Belezas
Longa-metragem venezuelano, “3 Belezas” mostra o cotidiano de uma família humilde, liderada por uma costureira, mãe de um garoto e duas meninas. O sonho da chefe da família é ver uma de suas filhas se tornar Miss Venezuela. O filme assusta com as atitudes e discursos dessa personagem, que oprime a infância e até a vida adulta das crianças, ensinando-as como se comportar como uma miss – aprenda a mentir; não confie em ninguém; o que importa para o sucesso da mulher é a beleza; coma o que quiser, mas vomite depois. Além da educação voltada aos valores mais superficiais em voga, o filme alfineta também dogmas religiosos. O final é uma boa e irônica sacada. 

  • Hermosa Juventud
A grave crise na Espanha varreu as oportunidades de emprego do país, principalmente para os mais jovens. “Hermosa Juventud” faz um retrato atual das dificuldades de um casal de namorados em arrumar um emprego, para ajudar no sustento das famílias. A situação piora quando a moça engravida. Essa produção de baixo orçamento é bem intencionada e consegue retratar uma juventude sem rumo, sem perspectivas de vida e sem o que fazer. Entretanto, seu enredo é pobre e superficial e o roteiro é de testar a paciência do espectador. Recursos como as conversas de Whatsapp na tela, por exemplo, também cansam. Se a questão do pornô, como uma única saída rentável nos tempos atuais, fosse melhor aproveitada, o resultado poderia ser diferente.


Curta a página do blog no Facebook