Pets – A Vida Secreta dos Bichos

Você já se perguntou o que o seu cachorro, o seu pássaro, o seu gato ou o seu peixinho fazem o dia todo, enquanto todo mundo está fora de casa para trabalhar? O cachorrinho Max faz a mesma pergunta a respeito de sua dona: o que ela faz lá fora? Por que ela demora tanto para voltar? Em Pets – A Vida Secreta dos Bichos, a ausência diária de sua dona vai ser o menor de seus problemas, a partir do momento que ela adota Duke, um cachorro grandalhão, mas meio atrapalhado. A rivalidade entre os dois leva a dupla em uma aventura pela cidade de Nova York, em que os dois são perseguidos por um coelho “do gueto” sedento de vingança.

Dirigido por Chris Renaud (Meu Malvado Favorito e Meu Malvado Favorito 2) e o estreante Yarrow Cheney, Pets tem um elenco cheio de bichos fofinhos, como o buldogue tolo, o hamster perdido e ingênuo ou a dupla principal. Entretanto, ele conquista o público com os personagens mais malucos, que dão gás à trama: o vilão, o coelho das ruas, e a cadela Gigi, que tem uma quedinha secreta por Max. O primeiro persegue Max e Duke pelas ruas da cidade; a segunda está determinada a salvar o seu crush. Há outros coadjuvantes interessantes, como a gata sábia.

Embora pareça infantil demais e até meio genérico, e em alguns momentos é, o filme ganha brilho com esses dois coadjuvantes. Cenas de perseguição, ação, reviravoltas, humor – o roteiro trabalha bem esses elementos, e Pets resulta em uma aventura divertida. Há muitos temas interessantes aqui: a adaptação a um novo ambiente, a resistência às mudanças, o contraste entre a vida em um lar e a vida nas ruas, o velho conflito do filho único que de repente se vê obrigado a dividir tudo quando chega um irmão – o filme fala de muitas coisas para as crianças, é fato. Mas verdade seja dita: falta algo em Pets para tornar essa aventura uma experiência inesquecível. Um pouco mais de criatividade ou de ousadia iria bem.

| Gabriel Fabri