Can’t Be Tamed

Com o show da Miley Cyrus se aproximando, justo dedicar uma postagem para ela. Não só por causa de toda a animação para o evento crescendo em PG, ou a estréia da turnê ‘Corazón Gitano’ ontem em algum país perdido da América Latina, mas também para quebrar um pouco do olhar preconceituoso que todo mundo tem com ela.
A ex-estrela da Disney passa por uma fase de difícil aceitação. Desde o início de sua carreira, todo mundo associa ela e suas musicas como um produto para crianças, por causa do seriado  Hanna Montana, já extinto. Realmente, suas musicas, apesar de algumas serem muito boas, eram algo meio imaturo, mas desde aquela época ela já apontava pra um novo rumo.
 O 1o álbum usando o próprio nome, ‘Breakout’, é uma deliciosinha transição entre a sensação pré-adolescente e o pop para todo mundo. Com duas musicas escritas por Katy Perry e produtores muito bons, o álbum e sua imagem publica já davam indícios de que a era Montana estava pra acabar. Ainda, o filme da personagem, lançado em 2009, serviu pra provar que ela tinha potencial, a medida que o hit ‘The Climb’ emplacava.
Seguindo os passos de Britney Spears (maior diva da Miley) e Christina Aguilera, a menina se rebelou contra o mundo, logo após emplacar o maior música de sua carreira (Party In The USA): declarou o fim do seriado, brigou com a Disney e resolveu mudar e adotar uma postura mais radical, mais arriscada e mais pessoal. Daí surgiram os problemas, como já era de se esperar: Can’t Be Tamed vendeu mal e manchou a reputação da artista, fazendo ela perder grande parte dos fãs mais jovens, seguido por problemas familiares e  uma escandalosa comemoração de 18 anos, com consumo de uma droga lícita que levou Bob Miley aos Trendig Topics do Twitter, ano passado.
Foi a maneira como ela reagiu a tudo isso que prova que Miley ainda terá uma grande carreira pela frente. Sua força foi excepcional, principalmente por reconhecer o valor de seu último trabalho e não se deixar levar às críticas feitas a sua nova imagem: suas musicas devem crescer conforme ela amadurece, e ninguém deve puxá-la para trás. Entretanto, como o álbum é composto por excelentes baladas (super fofas!) e o provável hit ‘Two More Lonely People’, o cd poderia ter sido salvo, mas não foi, e mais um clipe polêmico foi lançado para fortalecer a imagem de que ela não é mais aquela garotinha, o ‘Who owns My Heart’. Flop certeiro.
Assim, Miley luta pra deixar sua imagem infantil de lado e conseguir continuar sua carreira sem as amarras do passado. Com a divulgação do álbum abandonada, Miley entra em turnê sem menosprezar as musicas novas (contrária a Shakira e sua turnê Sale el Sol, que mais pareceu uma tour de um greatest hits), excluindo do seu setlist apenas 2 musicas do novo cd, mostrando não se arrepender dele. Por escolha própria, os EUA foram excluídos da turnê, e provavelmente a Europa também. Ela alegou que não queria conflitos com a mídia, mas lá dentro todos sabemos por que a turnê não passará por lá: falta de público ou simplesmente para esperar a poeira baixar até o próximo trabalho, e tomara que seja tão destemido quanto esse, porque gente indo com a maré do sucesso é o que não falta no mundo pop de atualmente. Tem que ir contra pra causar!