It: Capítulo Dois – Crítica

IT 2 traz o palhaço Pennywise 27 anos depois do primeiro filme

Ao final de It – A Coisa, o grupo de amigos autointitulado the losers (os “perdedores”, se traduzido literalmente) fez uma promessa: de que em 27 anos, se a tal Coisa voltasse, eles retornariam à pacata cidade de Derry para derrotar de vez a criatura, cuja forma mais assustadora é o palhaço Pennywise (interpretado por Bill Skarsgård). Um flashback desse momento abre It: Capítulo Dois, que ganha novamente direção de Andy Muschietti (Mama).

Baseado no romance It, de Stephen King, o longa-metragem traz agora todos os personagens adultos. Em uma espécie de stress pós-traumático coletivo, muitos deles não se lembram direito do que aconteceu há quase três décadas. Apenas Mike (Isaiah Mustafa), que ficou na cidade, tem clareza do perigo que vão enfrentar e um plano para colocar em ação – um ritual do qual todos os amigos precisam participar. No novo elenco, nomes conhecidos como James McAvoy e Jessica Chastain se destacam.

Primeiro, um fato curioso: se metade dos personagens sequer lembravam de Pennywise, por que eles teriam voltado para Derry correndo após uma única ligação, para começo de conversa? Para além dessa incongruência, It: Capítulo Dois tem grandes problemas.

Se o primeiro filme era marcado por aparições (às vezes) assustadoras do palhaço dançarino, IT 2 não poderia se sustentar apenas nisso como um grande atrativo, ainda mais para um filme de quase três horas. Tudo bem que Bill Skarsgård continua assustador como Pennywise, mas o novo longa-metragem exagera e mostra criatividade em poucas cenas, como a dos biscoitos da sorte. Pior: o filme enche o seu roteiro com flashbacks que visam ser assustadores, mas que não chegam perto disso, uma vez que sabemos que os personagens ali retratados estão vivos (estamos acompanhando eles 27 anos depois, afinal).

Além disso, a história dos objetos pessoais no ritual é super mal contada. Alguns personagens trazem objetos aleatórios, enquanto outro recebe o seu objeto da própria mão do vilão do filme, sem sequer desconfiar de sua utilidade ou autenticidade.

Longo e arrastado, It: Capítulo 2 tem como ponto positivo falar sobre homofobia, crimes de ódio, violência contra a mulher, bullying e aceitação. Com alguns bons momentos de humor e um bom desfecho, IT 2 poderia ter falado sobre tudo isso de maneira mais sintética e até mesmo mais assustadora.

Por Gabriel Fabri

Confira o trailer de It: Capítulo 2 abaixo:

Nota:

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram