Brincando com Fogo – Crítica

Brincando com Fogo traz John Cena no papel de um bombeiro que tem que lidar com crianças

Uma produção do canal infantojuvenil Nickelodeon, Brincando com Fogo (Playing with Fire) segue na mesma premissa de filmes como Operação Babá, colocando homens estereotipados para fazer trabalhos que a sociedade patriarcal delegou por anos apenas às mulheres. O humor vem da quebra de esteriótipos ao colocar um homem musculoso sendo incapaz de fazer tarefas básicas como cuidar dos filhos.

O filme de Andy Fickman enfoca o bombeiro-paraquedista Jake (John Cena), que se orgulha de não ser apenas um bombeiro comum. Ele está prestes a receber uma promoção quando metade da sua equipe deserta e, ao apagar um incêndio com o time reduzido, salva duas crianças e uma pré-adolescente do fogo. Com os pais deles fora da cidade, o homem é obrigado a acolher os garotos e terá a sua rotina metódica e organizada completamente alterada.

Embora demore um pouco para engatar, com os bombeiros coadjuvantes um pouco exagerados em seus papéis de “atrapalhados”, Brincando com Fogo diverte com o contraste da rigidez de John Cena e a doçura e inocência das crianças. O filme reflete sobre masculinidade e padrões de gênero, uma vez que os “heróis” enfrentam dificuldades gigantes com coisas pequenas, comparadas com apagar incêndios florestais, como trocar uma fralda e expressar os seus sentimentos.

Desconstruindo esteriótipos e com bom humor, Brincando com Fogo é uma boa opção para uma sessão em família.

Por Gabriel Fabri

Assista ao trailer de Brincando com Fogo abaixo:

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram