Falcons em Jogo – Crítica

O título em português desse filme francês dirigido por Olivier Afonso não revela muita coisa: Falcons em Jogo parece que se trata, de fato, de uma obra sobre esportes. Em inglês, os produtores foram mais felizes com a sua escolha, porém. Girls with Balls, em tradução livre “garotas com bolas”, brinca com o fato das personagens dominarem bem as bolas – de vôlei, esporte que praticam – mas também com a expressão machista “ela tem culhões”, para indicar que alguém tem coragem.

Nessa comédia trash, uma equipe de vôlei feminino e o seu treinador viajam para um campeonato. Na estrada, o convite que uma delas recebeu de um olheiro atiça a rivalidade e a inveja entre duas colegas. Mas esse é o menor de seus problemas, pois o ônibus é atacado por um grupo de homens armados e encapuzados, que parece querer matá-las por diversão.

O ponto alto de Falcons em Jogo é que, nesse misto de exploitation e comédia, o filme não tenta se levar a sério em nenhum segundo. Sabe que a ideia de garotas de saia correndo de assassinos na floresta é algo batido e brinca com isso, sem medo de ser politicamente incorreto. A falta de originalidade, as piadas de humor negro e a curiosa mistura do viés feminista girl power com o politicamente incorreto – tem até piada com estupro – devem incomodar a maior parte do público. Mas o filme se esforça para ser criativo em alguns momentos, como no uso do narrador com o violão, e, caso o espectador entre na brincadeira, deve se divertir em alguns momentos.

Por Gabriel Fabri

Disponível: Netflix

Confira o trailer de Falcons em Jogo:

Assista ao filme clicando aqui.

Nota: