Relatos do Mundo

Paul Greengrass dirige Relatos do Mundo, que rendeu indicação ao Globo de Ouro para a atriz Helena Zengel. Com Tom Hanks, filme estreia na Netflix

O diretor Paul Greengrass, mais conhecido pela série de Jason Bourne, especializou-se em filmes frenéticos. Após 22 de Julho, drama sobre um massacre em um acampamento de jovens na Noruega, o diretor experimenta agora uma mudança de ritmo em Relatos do Mundo. Estrelada por Tom Hanks, a produção chega direto à Netflix com uma indicação ao Globo de Ouro e ao SAG para a atriz Helena Zengel (Transtorno Explosivo), de apenas 12 anos.

Confira a lista de séries da Netflix que viraram livros clicando aqui

Relatos do Mundo conta a história de um andarilho, Capitão Kidd (Hanks), que após a Guerra Civil norte-americana resolve andar o país lendo jornais para a população analfabeta em troca de uns trocados. Ele encontra perdida a jovem Johanna (Zengel), órfã, e resolve entregá-la ao seu parente mais próximo – entretanto, a garota, que havia sido raptada por índios na infância, não fala uma palavra sequer em inglês. O caminho até a sua família mais próxima, entretanto, será cheio de perigos.

RELATOS DO MUNDO - NETFLIX - Helena Zengel - Tom Hanks - filme de Paul Greengrass

A paisagem árida e as cores quentes do velho oeste marcam a viagem de Kidd e Johanna, mas Relatos do Mundo não é exatamente um faroeste. Mesmo assim, a presença de uma jovem nessa paisagem faz o filme lembrar um pouco Bravura Indômita, refilmado em 2010 pelos irmãos Coen e que revelou a atriz Hailee Steinfeld, rendendo-lhe uma indicação ao Oscar também jovem, aos 14 anos. Greengrass, entretanto, tem habilidade com cenas de ação e, apesar de estar fora de sua zona de conforto em Relatos do Mundo, também entrega momentos tensos, como o tiroteio intenso com os homens que querem raptar a personagem de Zengel.

O trunfo de Relatos do Mundo está na sua dupla de personagens principais. Duas pessoas de diferentes mundos, línguas e gerações, que se entendem por conta de uma dor em comum: a solidão. O horizonte árido e vazio reforça essa ideia, e cada um desses personagens cativa o público à sua maneira. Assim como Lua de Papel, comédia de 1973 de Peter Bogdanovich, a viagem de um homem mais velho e uma menina órfã deixa, de forma leve, uma mensagem de empatia. Aqui, porém, de forma mais sisuda e, talvez, não tão marcante. Com o tempo, ficará mais lembrado pela atuação de Helena Zengel, um novo talento a se observar.

Por Gabriel Fabri

Leia o livro que inspirou o filme da Netflix:

Assista ao trailer de Relatos do Mundo abaixo:

Confira a lista de séries da Netflix que viraram livros clicando aqui

Leia mais dicas da Netflix clicando aqui.

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram