O Pintassilgo – Crítica

Romance vencedor do Pulitzer, O Pintassilgo ganha adaptação para o cinema com Ansel Elgort e Nicole Kidman

Embora não tenha tido recepção unânime da crítica especializada, O Pintassilgo, o romance de Donna Tartt, foi congratulado com o prêmio Pulitzer de Melhor Ficção. Era de se esperar que a sua adaptação para as telas grandes, portanto, fosse algo digno de, pelo menos, uma boa sessão de cinema. O longa-metragem de John Crowley (do indicado ao Oscar Brooklyn), entretanto, fracassa, entregando um melodrama arrastado e sem brilho.

Por quase duas horas e meia, acompanhamos a história de Theo Decker, interpretado por Ansel Elgort (Em Ritmo de Fuga) enquanto adulto. Enquanto garoto, ele perde a mãe durante um atentado terrorista em um museu. Na ocasião, recupera o quadro O Pintassilgo, de Carel Fabritius, datado de 1654. Dado como destruído durante o atentado, a obra fica em sua posse, e Theo desenvolve uma conexão sentimental com ela. Nicole Kidman é destaque no elenco no papel da mulher que acolhe o garoto após o atentado.

Para dar conta do romance de mais de 700 páginas de Donna Tartt, O Pintassilgo constrói um roteiro extenso que dilui a força de sua história. O melodrama do menino que perdeu a mãe e tem que voltar a conviver com o pai alcoólatra não entrega nada de novo. Talvez o livro de Tartt tenha seduzido os leitores com a escrita da autora, mas, na tela grande, a história não atinge o seu potencial, e acaba passando bem longe de encantar e emocionar o público – coisas que um melodrama com um pássaro no título certamente gostaria de conseguir.

Falta mais do que concisão no roteiro, falta brilho na história. Talvez fosse necessário se desprender mais das páginas escritas para criar algo mais original e coeso. Por fim, a atuação de Elgort sofre por conta do roteiro ruim. Fica difícil se envolver com o seu personagem e as suas dores.

Trazendo uma reflexão sobre a arte e o seu valor imaterial para a humanidade, O Pintassilgo, paradoxalmente, acaba resultando em um drama apenas esquecível.

Por Gabriel Fabri

Confira o trailer de O Pintassilgo:

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram