O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio – Crítica

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio traz Linda Hamilton como Sarah Connor

Antes mesmo de Avatar ou Titanic, o cineasta James Cameron já havia demonstrado o seu talento em contar histórias com os dois primeiros O Exterminador do Futuro. A saga de Sarah Connor e do exterminador T-800 rendeu dois clássicos instantâneos, cultuados até hoje. A franquia, entretanto, nunca mais acertou o passo depois da primeira sequência. O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio é mais uma tentativa de reciclar esse universo cinematográfico.

Se O Exterminador do Futuro: Gênesis tinha como atrativo ignorar a tentativa de criar uma nova franquia de McG e trazer de volta Arnold Schwarzenegger, o novo longa-metragem, dirigido por Tim Miller (Deadpool), agora aposta também no retorno de Sarah Connor, interpretada novamente por Linda Hamilton. É a primeira vez que ambos contracenam juntos na franquia desde o segundo filme, que data de 1991.

A princípio, Destino Sombrio se contenta em ser apenas um bom filme de ação, e nisso tem êxito, fisgando a atenção do espectador na cadeira e entretendo com a trama, um tanto parecida com a dos primeiros filmes: Grace (Mackenzie Davis), uma humana aprimorada, volta do futuro para proteger Dani (Natalia Reyes) de um exterminador. A diferença é que elas terão a ajuda inusitada de Sarah Connor, que já lutou contra um exterminador no passado.

O óbvio diferencial do filme é que a aventura é liderada por um grupo inusitado de três mulheres, incluindo aí uma latina e uma senhora interpretada por uma atriz de mais de sessenta anos. É uma questão calculada comercialmente, sem dúvidas, mas quantos filmes de ação hoje são liderados por mulheres tão fora da curva?

Na América de Trump, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio pode não ser nada ousado no seu roteiro, mas ao colocar uma senhora liderando um filme de ação, uma latina como a salvação da humanidade e ainda focar na liderança e força de três mulheres – sem menosprezar o astro Arnold Schwarzenegger, que faz o seu melhor exterminador até hoje – o longa-metragem demonstra certa ousadia ao colocar o cinema blockbuster como um espaço contra o preconceito e de resistência, ainda mais se tratando de um gênero sempre predominantemente masculino.

Por Gabriel Fabri

Confira o trailer de O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio abaixo:

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram