Minha Irmã

Escrito e dirigido por Stéphanie Chuat e Véronique Reymond, Minha Irmã é o escolhido da Suíça para o Oscar 2021 #52FilmsByWomen

Representante da Suíça no Oscar 2021, o drama Minha Irmã chega aos cinemas brasileiros após integrar a 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Escrito e dirigido por Stéphanie Chuat e Véronique Reymond, o longa-metragem foca em uma mulher que abriu mão de suas ambições como dramaturga em Berlim para cuidar do irmão doente na Suíça.

Veja mais filmes dirigido por mulheres no nosso desafio #52FilmsByWomen clicando aqui

Sven sofre de leucemia e sobreviveu graças ao transplante de medula de sua irmã, Lisa. De saída do hospital, Sven ambiciona retornar aos palcos, enquanto Lisa deseja voltar a Berlim. A piora do quadro de Sven e a relutância do marido de Lisa em recusar a promoção que o obrigaria a ficar mais cinco anos na Suíça frustram mais uma vez os planos de Lisa em retomar a sua carreira.

O longa-metragem de Stéphanie Chuat e Véronique Reymond não tem força para emocionar. A intenção de Minha Irmã é justamente enfocar o drama de uma mulher com a vida profissional em pausa por eventos da vida pessoal, como a doença do irmão e o trabalho do marido, e as suas tentativas de segurar as pontas, como escrever um novo texto para o irmão, recuperando-se do câncer, poder apresentar. O público espera, entretanto, uma reviravolta que não vêm: o conflito com o marido poderia ser resolvido com uma conversa e uma boa xícara de café e não leva a trama a lugar algum. A dor do irmão doente, por outro lado, traz um peso na vida de Lisa, mas sustenta Minha Irmã por quase 100 minutos.

Por Gabriel Fabri

Confira o trailer de Minha Irmã abaixo:

Veja mais filmes dirigido por mulheres no nosso desafio #52FilmsByWomen clicando aqui

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram