Os Novos Mutantes – Por que você não pode deixar de ver

Derivado dos X-Men da Marvel, Os Novos Mutantes traz Maisie Williams, Anya Taylor-Joy e Blu Hunt em um conto de fadas de heróis

Contos de fadas são narrativas, à princípio transmitidas oralmente, que alertavam as crianças sobre os perigos da vida adulta – usavam da fantasia como um ensinamento, segundo a moral de sua época. Derivado dos X-Men, da Marvel, Os Novos Mutantes é um filme de herói incomum, que se aproxima mais de uma fábula infantil do que produções recentes como Vingadores ou Liga da Justiça. O elenco do filme, que estreia direto no Telecine, inclui a brasileira Alice Braga; Anya Taylor-Joy, de O Gambito da Rainha; Maisie Williams, da série Game of Thrones; e Blu Hunt no papel principal.

Experimente 30 dias grátis de Telecine clicando aqui

Os Novos Mutantes fez parte de uma tentativa da antiga Fox de surfar no sucesso dos filmes da Marvel, com a única franquia da qual tinha direitos: os X-Men. Com o esgotamento das sequências dos mutantes, o estúdio logo percebeu que teria que tomar mais riscos para conseguir se diferenciar das concorrentes: o grande acerto foi o filme Logan, que fechou a trajetória de Wolverine de Hugh Jackman nos cinemas com um filme adulto; e a franquia Deadpool, uma comédia de heróis para adultos bastante irreverente. No meio do caminho, ficou um Quarteto Fantástico com uma pegada mais de ficção científica, mas que sofreu ao tentar ser menos ousado do que a ideia inicial.

Esse parecia ter sido o caso de Novos Mutantes, uma vez que o filme, com a compra da Fox pela Disney, virou propriedade da concorrente. A promessa era que o longa-metragem flertasse mais com o gênero do horror, o que de fato aconteceu no filme de Josh Boone (diretor de A Culpa é das Estrelas). O horror está ali, mas não é pra provocar arrepios na plateia, e sim ganhando contornos de conto de fadas.

O longa-metragem tem início com uma narração de uma história de ninar e termina com a conclusão da fábula, o ensinamento (uma metáfora bastante interessante e conectada com o todo). No meio disso, os personagens enfrentam os seus maiores medos, de maneira sobrenatural, e são colocados à prova. As cenas de horror não assustam o público, mas provocam medo nos personagens, que são forçados a enfrentá-lo se quiserem sobreviver.

novos mutantes no telecine - com Alice Braga Maisie Williams Anya Taylor-Joy

O que Novos Mutantes tem a ver com filme de herói? Talvez o clímax no qual se enfrenta um inimigo comum, embora aqui ele seja muito mais interessante, por estar relacionado com o íntimo de um de seus personagens. E, é claro, o fato de serem jovens mutantes trancados em um suposto hospício que, não, não é uma versão da escola do Professor Xavier.

Assim como um conto de fadas, Novos Mutantes é uma história de coming of age, ou seja, uma história de autodescoberta e amadurecimento. Afinal, esses jovens enfrentam o isolamento e os seus piores medos, mas também têm que conviver uns com os outros. E, apesar de ter sido acusado de “whitewashing” com dois de seus personagens, o que pesa bastante contra Os Novos Mutantes (justo a Fox que foi tão ousada ao escalar um negro em Quarteto Fantástico!), por outro lado, quando que outro filme de herói falou abertamente sobre masturbação, repressão religiosa e caça às bruxas, e ainda incluiu um beijo gay envolvendo sua protagonista? Um grupo de X-Men liderado por três mulheres ( Anya Taylor-Joy, Blu Hunt e Maisie Williams) , deixando os homens como coadjuvantes? Uma mulher latina (Hunt) encabeçando o elenco do filme em plena era Trump?

Envolvente, diferente e divertido, Os Novos Mutantes provavelmente será esquecido no limbo de filmes de heróis que deram errado. Uma pena, pois, na verdade, esse deu muito certo. Algum dia, quem sabe, será redescoberto.

Por Gabriel Fabri

Experimente 30 dias grátis de Telecine clicando aqui

Confira o trailer de Os Novos Mutantes abaixo:

Experimente 30 dias grátis de Telecine clicando aqui

Leia mais do Pop with PopcornHome | Instagram

O Pop with Popcorn é parceiro da marca Telecine e veicula em suas mídias peças publicitárias não-remuneradas. A opinião deste texto reflete a opinião do crítico e não do Telecine.